Btn-close-sidemenu

artistas

Conheça nossos artistas, suas obras e biografia

Encontre um artista pelo nome

Ubi Bava (1915 - 1988)

Ubi Bava
Adicionar aos favoritos
Seja notificado por email quando tivermos novas obras deste artista.

Biografia do Artista

Ubi Bava nasceu em Santos, Estado de São Paulo, no ano de 1915, e faleceu no Rio de Janeiro-RJ, em 1988. Estudou na Escola Nacional de Belas Artes, formando-se em Arquitetura (1939) e em Pintura (1940), tendo sido aluno de lucíolio de Albuquerque e de Henrique Cavaleiro, entre outros. Expôs pela primeira vez em 1946, juntamente com o escultor Alfredo Ceschiatti, no Instituto dos Arquitetos do Brasil - Rio de Janeiro. Em 1947 foi nomeado professor catedrático interino de Desenho Artístico da Faculdade Nacional de Arquitetura da então Universidade do Brasil, passando a catedrático permanente em 1949, após concurso público. Expondo no Salão Nacional de Belas Artes (Divisão Moderna) conquistou em 1949 medalha de prata; mais tarde participou de diversos Salões Nacionais de Arte Moderna (1952-68). E foi num desses Salões que, em 1961, recebeu o prêmio de viagem ao estrangeiro, graças ao qual passou dois anos na Europa, fixando-se principalmente na Itália. Participou também de várias outras coletivas importantes, como a Bienal de São Paulo (1951-59), Arte Moderna no Brasil (Exposição itinerante Argentina, Chile e Peru - 1957), "Panorama de Arte Atual Brasileira" (MAM de São Paulo, 1976) e Projeto Construtivo Brasileiro em Arte (Rio de Janeiro e São Paulo, 1977). Integrou ainda a Comissão Nacional de Belas Artes (1965-68) e a comissão que estruturou e criou, em 1969, a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro. O Museu Nacional de Belas-Artes dedicou-lhe em 1984 importante exposição. Ubi Bava pode ser considerado um precursor e um pioneiro de certo tipo de pintura que tem nos efeitos ópticos e nos recursos cinéticos sua razão maior de ser.Adicionando às suas superfícies espelhos, ao mesmo tempo introduz, no cerne mesmo de sua obra, a imagem refletida do espectador. Também fez uso de tubos de plástico e de movimentos mecanicamente produzidos, subordinando todos esses elementos a uma evidente vontade construtivista. Em certo momento de sua evolução, o que produzia tinha certo parentesco com o Concretismo. E é o próprio pintor que assim explica o tipo de Concretismo que era o seu: "Foi um concretismo sui-generis, um tanto lírico, o que repugnava os ortodoxos de então. Não admitiam a participação do artista em termos de sensibilidade e emoção." "Eu me limitava a pôr de lado qualquer relação com o discursivo, pôr abaixo a circunstância. Nas minhas pesquisas com espelhos o espectador aparece na sua essência de imagem, é uma proposta fenomenológica." FONTE: CD-Rom "Anos da Pintura Brasileira"

Cronologia

Exposições individuais

Exposições Coletivas

1944 - Rio de Janeiro RJ - 50º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA

1946 - Rio de Janeiro RJ - Expõe com o escultor Ceschiatti, no Instituto dos Arquitetos do Brasil, IAB/RJ

1949 - Rio de Janeiro RJ - 55º Salão Nacional de Belas Artes - Divisão Moderna, MNBA - medalha de prata

1951 - São Paulo SP - 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon

1953 - São Paulo SP - 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão dos Estados

1954 - Rio de Janeiro RJ - Salão Preto e Branco, no Palácio da Cultura

1955 - São Paulo SP - 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão das Nações

1957 - Argentina - Mostra itinerante Arte Moderna no Brasil

1957 - Chile - Mostra itinerante Arte Moderna no Brasil

1957 - Peru - Mostra itinerante Arte Moderna no Brasil

1958 - Rio de Janeiro RJ - Oito Artistas Contemporâneos, na Funarte. Galeria Macunaíma

1959 - São Paulo SP - 5ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho

1959 - São Paulo SP - Mostra, na Galeria de Arte das Folhas

1960 - São Paulo SP - Mostra, na Galeria de Arte das Folhas

1961 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Arte Moderna - Prêmio de Viagem ao Exterior

1968 - Rio de Janeiro RJ - 17º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ

1970 - Rio de Janeiro RJ - 8º Resumo JB, no MAM/RJ

1971 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão de Arte da Eletrobrás, no MAM/RJ

1972 - Curitiba PR - 29º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra

1972 - São Paulo SP - Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio

1973 - Rio de Janeiro RJ - 21 Anos de Salão Nacional, na Galeria Ibeu

1973 - São Paulo SP - 12ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal - sala especial

1975 - Basel (Suíça) - Exposição Internacional

1975 - São Paulo SP - 13ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal - Prêmio Aquisição Itamarati

1975 - São Paulo SP - 7º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP

1976 - São Paulo SP - Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP

1977 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão Carioca de Arte, na Galeria Funarte

1977 - Rio de Janeiro RJ - Artes Gráficas na Coleção de Léo Octávio da Silveira, na Galeria Ibeu

1977 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, no MAM/RJ

1977 - São Paulo SP - Projeto Construtivo Brasileiro na Arte: 1950-1962, na Pinacoteca do Estado

1978 - São Paulo SP - 1ª Mostra do Móvel e do Objeto Inusitado, no Paço das Artes

1980 - Rio de Janeiro RJ - Espacialidades, na Galeria do Ibeu

1981 - Rio de Janeiro RJ - Mostra, na Galeria do Ibeu

1983 - Rio de Janeiro RJ - 6º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ

1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ

1986 - Rio de Janeiro RJ - Sete Décadas da Presença Italiana na Arte Brasileira, no Paço Imperial

1988 - Rio de Janeiro RJ - 2ª Abstração Geométrica, na Funarte. Centro de Artes

Fonte: www.itaucultural.org.br

obras