Btn-close-sidemenu

artistas

Conheça nossos artistas, suas obras e biografia

Encontre um artista pelo nome

Leopoldo Raimo (1912 - 2001)

Leopoldo Raimo
Adicionar aos favoritos
Seja notificado por email quando tivermos novas obras deste artista.

Biografia do Artista

Nascido em Botucatu, interior paulista, filho de um fabricante de fogos de artifício, Leopoldo Raimo mudou-se para a capital aos 6 anos. Adolescente, estudou Arte com o acadêmico Oscar Pereira da Silva (1865-1939) e chegou a ingressar na Escola Paulista de Belas-Artes, mas formou-se em Medicina na Universidade de São Paulo, onde passou a lecionar. Nunca, porém, abandonou a arte. Estudou com Samson Flexor e com Lívio Abramo e participou de salões e bienais paulistas. Morreu de insuficiência cardíaca 12 anos após perder a mulher, a ceramista Marina Salerno (1919-1989), com quem teve um filho, o engenheiro Leopoldo Francisco Raimo (64).Tinha 88 anos. Médico e professor de Medicina, Leopoldo Raimo (1912-2001) dedicava-se à arte apenas nos finais de semana. Ainda assim conseguiu produzir uma obra importante, levada ao público em rara exposição no final de 2008 e início de 2009 na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Todo o percurso do artista, que experimentou várias correntes, foi mostrado em 80 trabalhos. Primeiro, Raimo dedicou-se a um abstracionismo geométrico delicado e harmonioso, influenciado pelos estudos com o romeno Samson Flexor (1907-1971), um dos introdutores dessa escola artística no Brasil. Mais tarde, flertou com o expressionismo abstrato do americano Jackson Pollock (1912-1956) e enveredou por um abstracionismo mais lírico, à moda do nipo-brasileiro Manabu Mabe (19241997). Além da tinta a óleo, chegou a usar areia em algumas criações. Fez ainda xilogravuras que lembravam sua origem interiorana, aplicando a técnica aprendida com Lívio Abramo (19031992). Raimo construiu uma obra "de forte personalidade individual e singular qualidade artística", como escreveu no catálogo da exposição o diretor da Pinacoteca, Marcelo Mattos Araujo (51), e "muito representativa de seu tempo, uma vez que dialogava com outros artistas, brasileiros e estrangeiros ", segundo a curadora Ana Paula Nascimento (35). Seu singular processo criativo muitas vezes começava com desenhos em blocos de receituário, entre uma consulta e outra. Somente depois ele passava os trabalhos para a tela. Alguns desses rascunhos acabaram revelando tanta força quanto as próprias obras finalizadas. SUA ÉPOCA "Meus quadros são espontâneos e subjetivos", disse Raimo certa vez. Mas há quem veja, na sua fase telúrica, à qual pertence a obra mostrada nesta página, referências a células ou a planetas e galáxias. Não é impossível imaginar que o universo tenha seduzido o artista. Afinal, ele viu, possivelmente encantado, como todos, o homem pisar pela primeira vez a Lua, em 20 de julho de 1969. A corrida espacial iniciara-se em 1957, quando a União Soviética lançou os satélites Sputnik e Sputnik II, este levando a cadela Laika. Apesar de os soviéticos terem largado na frente, foi o americano Neil Armstrong (79) quem primeiro colocou o pé na superfície lunar. As imagens da façanha e também as da Terra vista do espaço ficaram gravadas na memória da humanidade.

obras